sexta-feira, janeiro 21, 2005

Reencontros e violência...

So... Quarta foi mó legal... Reencontrei algumas pessoas da minha época de anarcopunk e foi joinha... Lógico que algumas pessoas viraram grandes imbecis, mas na real eu sempre soube quem era que ia virar babaca pra caralho... De repente pq sempre foram babacas... Anyway, o legal mesmo foi reencontrar o mancuso que eu não via desde 2001... Fucking great, pq é uma daquelas pessoas q tipo a amizade transcede a questão do punk... Alias, falando em quarta eu me dei conta de algo: Eu não suporto lugar cheio de gente e barulhento... Aquela porra de Charme, barzinho da augusta, é tipo que maximum escrotum, cheio de gente ultra-hiper hype, e eu odeio gente hype, descolada, blablabla... Low-profile all the way! Só sei que tipo barulho de mil pessoas falando ao mesmo tempo, rindo alto, dando escandalozinho de patricinha me irrita profundamente... Quinta-feira foi a mesma sensação no barbante... O jeito foi ficar no copo-a-copo a noite inteira com a Hare e a Juliana... Noite adentro mesmo... Se bem que o ponto alto da noite foi a cervejinha na conceição com o Theozinho e a Hare... Ou não...
Na verdade, talvez a parte mais memorável tenha sido a briga... e que briga estranha... A gente enchendo a lata no copo-a-copo, essa hora já acompanhados pelo Alex Negão e seu primo André, quando de repente barulho máximo de vidro quebrando e coisas sendo destruídas... Na seqüência sobe uma amiga minha (cuja identidade será preservada, hehehe) correndo, chorando pra caralho e passa batido pela nossa mesa... Na hora eu desconfiei que podia ser ela, mas como só vi as costas não tive muita certeza e deixei quieto... Logo em seguida ela vem descendo totalmente transtornada... Chamamos ela pra sentar na mesa, ela se sentou, mas nao conseguia falar praticamente nada... Só chorava... Pedi um copo de água com açucar, mas ela não queria tomar... Parecia o que essas coisas sempre parecem: Briga de namorado... ela levantou dizendo que ia pegar dinheiro e entrou num pico... Eu fiquei meio preocupado e fui atrás... Por sorte, diga-se de passagem... Quando a encontrei o namorado dela derrubou ela no chão e tipo começou a apertar o pescoço dela... Fui e arranquei o cara de cima dela e começei com a boa e velha ladainha: "Olha, pq vcs não se acalmam e conversam sem se encostar e tal?" E o cara ainda mais transtornado ficava indo pra cima dela, e eu tipo no diálogo, tentando resolver numa boa... Nessas o cara invoca comigo e começa a ser muito do folgadinho... Aí eu usei minha famosa tática "Lembrar das letras do racionais quando necessário", e dei um apavorozinho no cara, mas o sujeito não desistia de querer conversar com a mina segurando no pescoço dela... As coisas foram esquentando e a gente já tava na fase "nariz-com-nariz" bem tipo que a ponto de começar o quebra-pau... Nisso surgem a Hare e o André, entendendo quase nada e já separando... Nisso eu tipo virei pra falar com a minha amiga pra ver o que ela achava, se ela queria q a gente a tirasse de lá, se ia querer resolver com o cara, e o sujeito do nada aproveita e vem pra cima e me dá uma cabeçada no nariz... Essa é a parte em que eu fiquei muito orgulhoso de mim na verdade... Peguei o cara, preparei pra dar aquele soco-faz-fratura na cara dele, tipo que já com o punho cerrado, apontado pra cara dele, e ele com aquela cara de idiota, tudo em um segundo, tantas coisas passando pela cabeça: "Bato, o cara cai no chão, pisa na cabeça, NA CABEÇA!!!!" quando ainda nesse segundo veio a voz da consciência, e, ainda com o punho protinho pra começar a festa, olhei bem no olho do cara e falei: "Sabe pq eu não vou te encher a fuça de porrada?" e o cara com cara de incrédulo... "Por que vc é tão insignificante e desprezível que não vale nem a porrada, SEU BOSTA!"... Fiquei felizão , tipo que me sentindo "the bigger man", quando eu me dou conta de que não é por que eu desencanei de me vingar da cabeçada não ia ter vingança... A Hare toda paz e amor que é desceu o sarrafo no babaca... Foi impagável... O cara deve ter muito desacreditado que as bolachas vieram do lugar mais inusitado... Aí ficou por isso mesmo, a mina foi embora de taxi, e ele tipo entrou meio que forçando, mas meio que a mina queria resolver a parada, então nem nos intrometemos... Só avisei pro cara q se eu o vejo encostando a mão nela de novo ele vai aprender o que é tomar um cacete... Fim das contas: foi uma balada no mínimo curiosa.
Agora dormir pq eu tive q acordar 10 da madrugada pra levar uma pessoa no médico, pois eu tinha prometido, o que nos remete a frase que encerra o post hoje, cuja autoria eu desconheço: "Sempre faça sóbrio aquilo que prometeu bêbado; isso o ensinará a manter a boca fechada"

Ps.: Bernardo, I need those fucking photos!!!!! manda por email pra mim! Por favor!!
Pps.: Diego, a musica de hoje é em sua homenagem...

Re-Gaining Unconsciousness (by Nofx)

First they put away the dealers, keep our kids safe and off the streets
Then they put away the prostitutes, keep married men cloisterred at home
Then they shooed away the bums then they beat and bashed the queers
Turned away the asylum seekers, fed us suspicions and fears
We didn't raise our voice, we didn't make a fuss
It's funny there was no one left to notice when they came for us

Looks like witches are in season, you better fly your flag and be aware
Of anyone who might fit the description, diversity is now our biggest fear
Now with our conversations tapped and our differences exposed
How ya supposed to love your neighbor, with our minds and curtains closed
We used to worry bout big brother, now we have a big father and an even bigger muther

And you still believe, this aristocracy gives a fuck about you
They put the mock, in demockracy and you swallowed every hook
The sad truth is you would rather follow the school into the net
Cuz swimming alone at sea is not the kind of freedom you actually want
So go back to your crib and suck on a tit go bask the warmth of your diaper
You're sitting in shit and piss while sucking on a giant pacifier
A country of adult infants, a legion of mental midgets, a country of adult infants
All re-gaining their unconsciousness