quarta-feira, janeiro 19, 2005

Walking Is Still Honest

So, eu tenho um blog... Não é grande coisa, mas é meu brogui... Quando eu deletei meu antigo (Blog do idiota) eu acabei salvando no meu computador todos os posts e, devo confessar que não lembrava de quase nada das coisas q haviam acontecido entre agosto/02 e agosto/04... Foi divertido relembrar o monte de coisas q aconteceram nesse meio tempo, ver as pessoas com quem eu andava e nunca mais vi, as pessoas com quem eu mal andava e hoje são melhores amigos, as coisas q eu fazia e nao faço mais e o contrário... O fato é que eu descobri que blog tem uma utilidade que eu nunca tinha me dado conta: É um diário mesmo... E eu nunca tinha tido um diário. É mó legal... em 2007 eu vou ler isso daqui e ficar surpreso com como eu era bobo, ou talvez nostálgico sobre como 2005 era legal, ou uma bosta... vai saber... o fato é q pra bem ou pra mal eu tenho uma memória virtual novamente, pra registrar coisas divertidas, coisas desinteressantes, desejos que vão ou não ser realizados, metas, whatever the fuck i want, 'cuz this is fucking mine!
Então, começando: primeiro post, viva!

Bom, não acho que seja muito necessário dar continuidade ao antigo blog, fazer uma conexão ou algo do tipo, então isso é realmente um "primeiro post"! E lá vamos nós:

2004 acabou comigo esborrachando o carro da Marrie no guard rail daquele viaduto que liga a Av. Dr Arnaldo a Av. Paulista... Podia ser pior, mas de qq forma foi um péssimo jeito de terminar um ano tão tumultuado... Qdo as expectativas já eram das piores, 2005 se mostrou um ano extremamente inusitado... Milhares de coisas fodas aconteceram em tão pouco tempo... Tantas tantas que vão ficar na minha memória e de todo mundo que estava junto... Foi um começo de ano muito bom, that's for sure! Então, levando em consideração q tudo começa agora nesse blog vou falar de ontem, pra relembrar daqui uns 2 anos e dar risadas... O Kuhlmann voltou pra São Paulo, depois de 4 anos morando em Florianópolis fazendo geografia, largou tudo pra fazer Geologia (será que era isso mesmo?) na USP... Isso é bom, pq apesar de nossos pequenos atritos que rolam qdo um dos dois fica muito bêbado (qdo os dois ficam não acontecem) ele é um cara com quem eu me divirto a valer... Saímos ontem pra comemorar que ele está de volta, pegamos a marginal (pq não há nenhum jeito melhor de colocar a fofoca em dia do que dirigindo na marginal) e simplesmente fomos e fomos e fomos... Hora que nos demos conta tinhamos ido parar na estrada do campo limpo... Resolvemos que andamos o suficiente e que era hora de tomar uma cervejinha... Fomos para pinheiros e descobrimos que nossos bares de 7 anos atrás estão todos fechados... O que foi triste de certo modo... acabamos tomando umas brejas num bar na rua dos pinheiros até ele fechar... Depois que fechou resolvemos chamar a Marrie e a Ruli pra tomar mais umas... E lá fomos nós até a aclimação... ficamos meio bebados (principalmente eu e o Kuhlmann q ja estávamos altinhos), jogamos sinuca, perdi na sinuca... Cheguei em casa podre, pra acordar hoje e perceber que minha camiseta tinha um "oi" enorme escrito com giz branco de sinuca... Agora imagino a Marrie chegando em casa com um smile na bunda e me xingando que nem eu xinguei qdo vi o "oi"... Essa semana tem sido mto divertida, queria que o Bernardo mandasse as fotos da balada domingo/segunda, e acima de tudo preciso que a xu mande as fotos da semana passada, preciso muito de uma foto que eu tirei do Valente bêeeeeeeebado... Será que eu devo ficar entafuiando fotos no blog? Fotolog não serve pra isso? Se bem q eu tou tão de saco cheio de fotolog... oh, well... Anyway, chega de escrever, ainda tenho que pegar as manhas de como se faz pra blogs serem coisas divertidas e interessantes... i might as well never learn it!
See ya in the pit motherfuckers!

"We Laugh at Danger (and Break All the Rules)" (by Against Me!)

It was a birthday gift
of a Mexican Telecaster
And from this day on I will play along
to all my young pioneers records
And there will be a poetry spoken silently between me and the stereo
I'll work mornings
and you can work through the night

Mary, there is no hope for us
If this GM van don't make it
across the state line
we might as well lay down and die
Because if Florida takes us
we're taking everyone down with us
Where we're coming from (yeah)
will be the death us

And I cannot help but hold on
to a handful of times
when what was spoken
was a revolution in itself,
and what we were doing
was the only thing that mattered
And how good it felt
to kill the memory of nights spent
holding your shirt for the smell
I heard you used to cry
when you made love to him
but this band will play on
Because all we can do is what we've always done. And on and on and on...